Arquivo de Março, 2007

Vou deixar este falar por si.

Via: Adfreak

Tags: Advertising technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo

Anúncios

A Nissan vai utilizar um conceito interessante para promover o seu novo modelo Altima.

nissan1

Via: Coolz0r

Tags: Advertising technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo

O Seu a Seu Dono

Tal como grande parte da malta na blogosfera e imprensa, escrevi aqui que a TubarãoEsquilo era a primeira rede de blogs nacional. Tal não é verdade como aqui escreve o Carlos, já que esse “título” deve ser entregue à WebTuga; o erro serviu para conhecer esta última o que de si já é positivo. Isto nada muda em relação à minha apreciação, mas a verdade tem de ser reposta.

Tag: Blogs technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo

O dia de ontem ficou marcado – do ponto de vista blogosférico – pelo lançamento da primeira rede de blogs nacional. A TubarãoEsquilo, para quem ainda não sabe, é coordenada por Paulo Querido e junta alguns dos melhores blogs nacionais (pelo menos na minha opinião!).

Relativamente à página oficial da rede, sou da opinião que a secção de “Últimos Posts” deveria ser a primeira coisa a aparecer a quem a visita, mas isso são questões de estilo. Resta-me desejar boa sorte à malta que participa no projecto!

Tag: Blogs technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo

Fica aqui a devida nota para este trabalho altamente criativo da JWT para a Lipton num parque no Cairo.

lipton

Agência: JWT, Egipto

Via: Twenty Four

Tags: Advertising technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo

Para quem não conhece, Kathy Sierra é a autora do brilhante Creating Passionate Users um dos melhores blogs de marketing que por aí andam. A autora anunciou que estaria ausente de uma conferência onde deveria participar por ter demasiado medo de sair de casa devido a várias ameaças de morte que tem recebido quer nos comentários do seu blog, quer em outros blogs.

Todos sabemos que muitas vezes a fama tem um preço elevado, e não são pouco os casos em que personalidades famosas foram vítimas deste tipo cobarde de chantagem, chegando algumas mesmo a ser mortas.

Aquilo que é ainda mais inaceitável nesta situação, é que as ameaças vêm de outros bloggers atingindo limites que nem em brincadeiras infantis deveriam ser cruzados. Não foram poucos os bloggers que anunciaram a sua solidariedade com a autora. Ainda assim, acho que se atingiu um ponto baixo na blogosfera que não abona em nada à liberdade que todos dispomos para opinar sobre aquilo que pretendemos. Como a própria Kathy afirma, a liberdade de expressão, mesmo que para atacar outros, é algo inerente à blogosfera, mas há limites que nunca deveriam ser cruzados e que neste caso o foram.

Tag: Blogs technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo

Aperta o Cerco ao Youtube

Apesar de manter que dificilmente a plataforma que está a ser criada pela NBC (e não NBS) e pela NewsCorp será um concorrente sério ao Youtube, sobretudo por querer limitar os conteúdos do seu site a profissionais seleccionados pelas companhias, a verdade é que esta iniciativa é apenas mais um sinal de que o Youtube irá enfrentar sérios problemas nos próximos tempos, sendo o processo movido pela Viacom acerca da violação das leis de copyright o exemplo mais cabal.

Mas não serão apenas as grandes empresas dos media a exercer pressão sobre o Youtube. O Google certamente quererá ver rapidamente resultados da fortuna investida e os próprios utilizadores, sobretudo aqueles que mais contribuem para o portfolio, quererão mais do que números de views e comments que, por mais que sejam uma bela massagem ao ego, não passam de parco consolo quando comparado com a fortuna que os criadores do site arrecadaram. A adicionar a estes factores, há que não esquecer a concorrência de sites como o Revver ou o Metacafe que procuram atrair para as suas plataformas contribuintes e visitantes do Youtube.

Estas pressões resumem-se a um único denominador comum: LUCRO! As grandes companhias de media querem ser recompensadas pelos seus vídeos que vão dando sucesso ao Youtube; o Google quer – ainda que tal não seja publicamente assumido – transformar os 1.6 biliões de dólares de investimento em outro tanto de receitas; os utilizadores que mais contribuem com criações originais para o site querem receber parte desse lucro, algo que conseguem em plataformas concorrentes, para além de certamente verem com bons olhos a possibilidade de estabelecerem acordos específicos com empresas no sentido de apenas publicitarem nos seus vídeos determinadas marcas ou produtos.

A publicidade surge como meio preferencial para garantir valores que satisfaçam todos e mantenham o Youtube como líder incontestado do mercado. Os milhões de visitas e a consolidação da marca são garantia de atractividade para para os anunciantes, pelo que dificilmente será problema para o Youtube garantir parceiros nessa vertente – sobretudo se conseguir estabelecer acordos satisfatórios com as empresas de media. O problema que daí poderá advir será da reacção dos utilizadores à “comercialização” do site!

Banners (o excesso de) e anúncios vídeo inseridos nos conteúdos poderão ser contraproducentes já que retirarão a aura amadorismo e o imediatismo dos conteúdos levando a uma perda de interesse num meio que acabará por se tornar quasi-televisivo. O Google já demonstrou ser capaz de criar publicidade não-intrusiva com o AdSense, mas a tarefa que aqui se apresenta será bem mais complexa já que se tratam de conteúdos multimédia que exigem anúncios à altura. Sabe-se que o “mamute” da Internet tem experimentado novas técnicas, mas ainda nada de concreto em termos de resultados comprovados.

Será interessante seguir qual a direcção assumida pelo Youtube nos próximos meses para perceber a resposta que darão a estas pressões. Não tenho dúvidas acerca da capacidade do Youtube e do Google em conseguirem contornar a situação, mas a verdade é que a diferença entre o sucesso e o fracasso é muito ténue.

Tags: Web 2.0 technorati_logo sapotags_logo marcantes_logo destakes_logo favoritos_logo delicious_logo wordpress_logo